Visite a página de Recursos para servir com segurança para dicas e ferramentas para servir de forma segura a sua
comunidade e faça uma doação à LCIF para impulsionar o serviço dos Leões do conforto e segurança do seu lar.

Início The Lions Blog Cuidando dos manguezais
Ação Global

Cuidando dos manguezais

Erin Kasdin 24 de Maio de 2021
Os manguezais ao longo da costa do Suriname

O cultivo de árvores na costa pode ajudar a salvar o Suriname

Localizado em cima da costa norte da América do Sul, o Suriname é o menor país do continente, mas os Leões de lá têm desempenhado um grande papel no combate às mudanças climáticas.

Plantar árvores de mangue evita que o solo fértil seja levado pelos oceanos.

A perda das florestas naturais de mangue levou à erosão da costa lamacenta do Suriname. Alimentada pelo lodo que vem da foz do rio Amazonas, a terra deveria estar crescendo, não desaparecendo. Mas os diques erguidos na década de 1960 para construção de uma rodovia conectando as costas leste e oeste do país cruzam bem no meio dos pântanos onde água doce e água salgada se misturam. A água misturada - chamada de água salobra - é onde os manguezais prosperam. Sem as raízes das árvores para conter o lodo, grande parte do solo fértil é levado pela água.

Um dos ecossistemas mais importantes e produtivos do planeta, os manguezais saudáveis não só podem proporcionar às comunidades costeiras uma vida sustentável, mas também protegem os litorais de desastres naturais e, de acordo com o Projeto de Ação pelos Manguezais, são capazes de capturar mais carbono por hectare do que qualquer outro tipo de floresta.

O Paramaribo Central Lions Clube tem apoiado o Projeto Manguezal da Universidade Anton de Kom do Suriname sob a direção do Professor Hidrólogo S. Naipal desde 2015.

“A erosão da costa prejudica as terras agrícolas”, escreveu o assessor do clube, Glenn Tewari. “Plantar árvores de mangue evita que o solo fértil seja levado pelos oceanos”. Os residentes do Suriname dependem do solo fértil para a agricultura produzir alimentos, mas as constantes inundações devido à erosão dificultam a agricultura.

O professor Naipal tem a missão de salvar o litoral - e, assim, preservar o sustento dos fazendeiros residentes no Suriname, bem como o precário ecossistema que depende deles. E os Leões se encarregaram de ajudar. A missão de resgate de Naipal para reparar os danos causados pelo desenvolvimento humano envolve a construção de andaimes nas águas lamacentas para conter os sedimentos de forma que haja lama suficiente para os manguezais criarem raízes. Assim que os manguezais recém-plantados se estabelecem, eles evitam que o oceano lave o solo.

As plantas são cultivadas em estufas especiais a partir de sementes colhidas ao longo da costa. Depois de prontas, as mudas são plantadas na lama com tutores para protegê-las das ondas.

Os Leões doaram o tipo específico de madeira resistente à água necessária para construir andaimes e garantiram que chegassem até o local da construção. Eles também doaram a madeira para construir as estufas onde crescem as mudas e auxiliar no plantio de manguezais. “Trabalhamos com a natureza, para a natureza”, escreveu Tewari. “A madeira vem do sertão para ajudar a restaurar e proteger a natureza na planície costeira. O clube espera que o seu trabalho proporcione mais proteção para espécies ameaçadas de extinção, como o Flamingo e o Ibis Escarlate, pássaros que habitam as águas salobras da costa.

Quando o litoral estiver estabilizado, a terra poderá ser cultivada novamente e o povo do Suriname pode ter uma fonte local de alimentos mais confiável.

Os Leões do Paramaribo Central aceitaram o projeto porque sabem como é importante uma costa saudável para sua comunidade. Mais de 90% da população do Suriname vive ao longo da costa. E fizeram parceria com várias organizações locais, incluindo lenhadores, além da universidade para fazer o replantio da maneira certa.

“O único know-how exigido é para construir a infraestrutura necessária para salvar o solo”, disse Tewari. “A natureza se encarrega do resto”.

O Paramaribo Central Lions Clube é um dos vencedores do Prêmio de Serviços a Bondade Importa de 2021. Para mais histórias e para conferir uma lista de todos os vencedores, visite lionsclubs.org/KMSA.


Erin Kasdin é editora sênior da Revista LION.

A pandemia de coronavírus (COVID-19) impactou comunidades em todo o mundo de diferentes maneiras. Para garantir que estamos servindo com segurança onde quer que vivemos, os Leões devem seguir as diretrizes dos Centros de Controle de Doenças, da Organização Mundial da Saúde ou das autoridades locais de saúde. Visite nossa página Servindo com segurança para obter recursos que podem ajudar você a servir sua comunidade com segurança.